Montana® Supra 450 SL

Montana® Supra 450 SL
TipoHerbicidas
ComposiçãoGlifosato 37.7% (=450 g/l) Sob a forma de sal de isopropilamónio.
Família QuímicaAminoácidos
Tipo de FormulaçãoSolução concentrada (SL)
Tipo de FormulaçãoSolução concentrada (SL)
Número de registoAV 1108
Embalagem
5 l, 20 l, 200 l, 1000 l
Ficha técnica59K59.02K
Ficha de Dados de Segurança540K540.41K
Ficha técnica59K59.02K
Ficha de Dados de Segurança540K540.41K

Informação Toxicológica

Environmental Hazard GSH Pictogram
Para mais informações consulte a Ficha de Dados de Segurança.
Em caso de intoxicação contacte o Centro de Informação Antivenenos (CIAV), telefone nº 800 250 250.

Descrição do Produto

Resumo

O MONTANA SUPRA 450 é um herbicida não seletivo, sistémico, de pós-emergência, cuja substância ativa glifosato, é um derivado da glicina. MONTANA SUPRA 450 é absorvido pelas folhas e outras partes verdes das infestantes e translocado para todos os órgãos da planta, acumulando-se principalmente nas raízes e órgãos subterrâneos das plantas. Inibe a biossíntese do aminoácido shiquimato (inibindo a atividade da enzima EPSP sintase) (Grupo 0 do HRAC).

Os sintomas, como interrupção do desenvolvimento, clorose e necrose, surgem geralmente uma ou duas semanas após a aplicação e a destruição completas das infestantes é alcançada em cerca de 4 semanas (8 semanas para algumas espécies).

Controla infestantes anuais, vivazes e perenes da videira, macieira, pereira, marmeleiro, nespereira, ameixeira, pessegueiro, nectarina, damasqueiro, cerejeira, laranjeira, laranjeira azeda, tangerineira (inclui clementina e híbridos), limoeiro, oliveira, amendoeira, aveleira, castanheiro, nogueira, pomares jovens em geral, em pré-sementeira e pós-colheita de cereais (trigo mole; trigo duro; cevada; triticale; aveia; centeio) de Inverno e Primavera, antes da instalação de culturas em técnicas de sementeira.

Características principais

  • O MONTANA® SUPRA 450 SL é um herbicida sistémico e não seletivo, sem efeito residual.
  • O produto deverá ser aplicado em pós-emergência das infestantes, controlando um largo espectro de anuais, vivazes, perenes e lenhosas.
  • MONTANA® SUPRA 450 SL é absorvido pelas folhas e partes verdes das plantas e, seguidamente, transportado pela seiva até às raízes, destruindo-as completamente (destrói os órgãos subterrâneos que funcionam como órgãos de reprodução de algumas infestantes).

Observações

  • Os primeiros sintomas visíveis da aplicação de MONTANA® SUPRA 450 SL, surgem 7 a 14 dias depois, mas as plantas param o seu desenvolvimento nas 24 horas seguintes, deixando de competir com a cultura. A eliminação completa das infestantes ocorre geralmente após 4 semanas. Este período pode ser superior no caso de algumas espécies.
  • Não mobilizar o terreno nas primeiras 3-4 semanas após a aplicação para o controlo de infestantes vivazes. Para as anuais, 48 horas após a aplicação.

Informações Complementares

  • Em situações de risco de arrastamento,, os bicos do pulverizador devem estar protegidos por campânulas de proteção.
  • Não aplicar quando se prevê chuva nas 6 horas seguintes à aplicação.
  • Não aplicar em vinhas e pomares com menos de 3 anos.
  • Nas infestantes aquáticas obtêm-se melhores resultados com MONTANA® SUPRA 450 SL em junho-julho.
  • Para mais informações consulte a Ficha de Dados de Segurança do produto.
  • Os produtos fitofarmacêuticos (PFF) homologados em Portugal podem ser utilizados em proteção integrada (PI), não existindo uma lista de PFF’s recomendados especificamente para esse efeito. A escolha do PFF deve ter, obrigatoriamente, em consideração a aplicação dos princípios gerais da PI e as normas definidas para a cultura.

Marca comercial

ASCENZA Agro, S.A.

Sobre a aplicação

Modo de Aplicação

Calibrar correctamente o equipamento, calculando o volume de calda gasto por ha, de acordo com o débito do pulverizador (L/min), da velocidade e largura de trabalho. A quantidade de produto e o volume de calda devem ser adequados à área de aplicação, respeitando as doses indicadas.

Utilize a pressão indicada pelo fabricante, de forma a assegurar a uniformidade da distribuição de calda.

Em situações possibilidade de arrastamento da nuvem de pulverização, os bicos do pulverizador devem estar protegidos por “palas” ou “campânulas” de proteção.

Volume de água a utilizar: 100 a 400 L/ha e 100 a 200 L/ha antes da instalação de culturas.

Depois de cada tratamento, lavar o equipamento de pulverização com água e detergente.

Modo de preparação

Na preparação da calda deitar metade do volume de água adequado para a pulverização prevista. Deitar a quantidade de produto necessária e completar o volume de água pretendido, assegurando agitação continua.

Precauções biológicas

. Efetuar a aplicação com bom tempo e sem vento. Evitar tratar com temperaturas elevadas.

. Não aplicar quando se prevê chuva nas 6 horas seguintes à aplicação.

. Não existem restrições varietais, no entanto, em caso de dúvida, recomenda-se conduzir um ensaio preliminar.

. O produto pode ser utilizado em qualquer tipo de solo.

. Não mobilizar o terreno nas primeiras 3-4 semanas após a aplicação para o controlo de infestantes vivazes e nas 48 horas seguintes à aplicação no caso de controlo de infestantes anuais.

. Utilizar pulverizadores equipados com bicos protegidos ou bicos anti-deriva nos casos de plantas jovens e culturas mais sensíveis.

. Não aplicar junto a videiras e árvores de fruto que apresentem clorofila (cor verde), nos caules e troncos.

. Durante a aplicação não atingir as partes verdes das culturas, árvores muito jovens que não estejam bem lenhificadas e feridas recentes de poda (menos de duas semanas).

. Não aplicar em vinha com menos de 3 anos.

. A aplicação repetida, na mesma parcela, de herbicidas contendo substâncias ativas da mesma família química ou com o mesmo modo de ação podem conduzir à ocorrência de resistências em espécies anteriormente suscetíveis. Para evitar o desenvolvimento de resistências, recomenda-se proceder, sempre que possível, à utilização de herbicidas mistos ou à alternância de herbicidas de diferentes famílias químicas ou com modo de ação diferente do glifosato.

Intervalo de segurança

Tratar antes do final da floração para pomares e vinha; 21 dias para oliveira; 28 dias para macieira, pereira, marmeleiro, nespereira, amendoeira, aveleira, castanheiro e nogueira.

Infestantes susceptíveis

Controla infestantes anuais, vivazes e perenes da videira, macieira, pereira, marmeleiro, nespereira, ameixeira, pessegueiro, nectarina, damasqueiro, cerejeira, laranjeira, laranjeira azeda, tangerineira (inclui clementina e híbridos), limoeiro, oliveira, amendoeira, aveleira, castanheiro, nogueira, pomares jovens em geral, em pré-sementeira e pós-colheita de cereais (trigo mole; trigo duro; cevada; triticale; aveia; centeio) de Inverno e Primavera, antes da instalação de culturas em técnicas de sementeira.

INFESTANTES SUSCETÍVEIS E DOSES DE APLICAÇÃO

Infestantes gramíneas anuais - 3,2-4,8 L/ha

Infestantes dicotiledóneas anuais e bianuais - 2,4-4,8 L/ha
Erva-pata (Oxalis pes-caprae) - 3,2-4 L/ha
Agrotis (Agrotis spp.) - 3,2-4,8 L/ha
Escalracho (Panicum repens) - 3,2-4,8 L/ha
Graminhão (Paspalum paspalodes) e urtigas (Urticas spp.) - 4-4,8 L/ha
Glyceria maxima - 4-4,8 L/ha
Acácias invasoras (Acacia spp), caniço (Phragmites australis), corriola (Convolvulus arvensis), feto (Pteridium aquilinium), jacinto aquático (Eichornia crassipes) e silvas (Rubus spp.) - 4,8 L/ha
Grama (Cynodon dactylon), junça (Cyperus rotundus), juncinha (Cyperus esculentus) e tábua-larga (Typha latifolia) - 4,8 L/ha:

ÉPOCA E CONDIÇÕES DE APLICAÇÃO

Pós-emergência das infestantes, quando estas se encontram em crescimento ativo (com 10 a 20 cm de altura) e com a cultura antes do final da floração, na primavera (até ao BBCH 69). As doses mais elevadas devem ser aplicadas em presença de infestações mais intensas e infestantes mais desenvolvidas.

Cereais (trigo mole; trigo duro; cevada; triticale; aveia; centeio) - As aplicações devem ser feitas em pré-sementeira ou pós-colheita da cultura e, quando as infestantes se encontram nas primeiras fases de desenvolvimento.

Antes da instalação das culturas - A aplicação deve ser efetuada 30 dias antes da instalação das culturas.

Condições de utilização e restrições, respeitantes a todas as finalidades: Todas as espécies fruteiras (pomóideas, prunóideas, citrinos, frutos secos, videira e oliveira): dirigir a pulverização ao solo, usar um equipamento de aplicação apropriado de modo a evitar o arrastamento da calda e o contacto dos frutos com a substância ativa e não colher a fruta caída no solo tratado.

Não utilizar a azeitona caída no chão na alimentação humana ou animal.

Aplicações por cultura

Ameixeira

ProblemaInfestantes
Dose2,4 a 4,8 l/ha
ObservaçõesVer "Infestantes Suscetíveis e Doses de Aplicação"

Amendoeira

ProblemaInfestantes
Dose2,4 a 4,8 l/ha
ObservaçõesVer "Infestantes Suscetíveis e Doses de Aplicação"

Aveleira

ProblemaInfestantes
Dose2,4 a 4,8 l/ha
ObservaçõesVer "Infestantes Suscetíveis e Doses de Aplicação"

Castanheiro

ProblemaInfestantes
Dose2,4 a 4,8 l/ha
ObservaçõesVer "Infestantes Suscetíveis e Doses de Aplicação"

Cereais De Inverno

ProblemaInfestantes
Dose2,4 a 4,8 l/ha
ObservaçõesVer "Infestantes Suscetíveis e Doses de Aplicação"

Cereais De Primavera

ProblemaInfestantes
Dose2,4 a 4,8 l/ha
ObservaçõesVer "Infestantes Suscetíveis e Doses de Aplicação"

Cerejeira

ProblemaInfestantes
Dose2,4 a 4,8 l/ha
ObservaçõesVer "Infestantes Suscetíveis e Doses de Aplicação"

Clementina

ProblemaInfestantes
Dose2,4 a 4,8 l/ha
ObservaçõesVer "Infestantes Suscetíveis e Doses de Aplicação"

Damasqueiro

ProblemaInfestantes
Dose2,4 a 4,8 l/ha
ObservaçõesVer "Infestantes Suscetíveis e Doses de Aplicação"

Laranjeira

ProblemaInfestantes
Dose2,4 a 4,8 l/ha
ObservaçõesVer "Infestantes Suscetíveis e Doses de Aplicação"

Laranjeira Azeda

ProblemaInfestantes
Dose2,4 a 4,8 l/ha
ObservaçõesVer "Infestantes Suscetíveis e Doses de Aplicação"

Limoeiro

ProblemaInfestantes
Dose2,4 a 4,8 l/ha
ObservaçõesVer "Infestantes Suscetíveis e Doses de Aplicação"

Macieira

ProblemaInfestantes
Dose2,4 a 4,8 l/ha
ObservaçõesVer "Infestantes Suscetíveis e Doses de Aplicação"

Marmeleiro

ProblemaInfestantes
Dose2,4 a 4,8 l/ha
ObservaçõesVer "Infestantes Suscetíveis e Doses de Aplicação"

Nectarina

ProblemaInfestantes
Dose2,4 a 4,8 l/ha
ObservaçõesVer "Infestantes Suscetíveis e Doses de Aplicação"

Nespereira

ProblemaInfestantes
Dose2,4 a 4,8 l/ha
ObservaçõesVer "Infestantes Suscetíveis e Doses de Aplicação"

Nogueira

ProblemaInfestantes
Dose2,4 a 4,8 l/ha
ObservaçõesVer "Infestantes Suscetíveis e Doses de Aplicação"

Oliveira

ProblemaInfestantes
Dose2,4 a 4,8 l/ha
ObservaçõesVer "Infestantes Suscetíveis e Doses de Aplicação"

Pereira

ProblemaInfestantes
Dose2,4 a 4,8 l/ha
ObservaçõesVer "Infestantes Suscetíveis e Doses de Aplicação"

Pessegueiro

ProblemaInfestantes
Dose2,4 a 4,8 l/ha
ObservaçõesVer "Infestantes Suscetíveis e Doses de Aplicação"

Pomares Jovens

ProblemaInfestantes
Dose2,4 a 4,8 l/ha
ObservaçõesVer "Infestantes Suscetíveis e Doses de Aplicação"

Tangerineira

ProblemaInfestantes
Dose2,4 a 4,8 l/ha
ObservaçõesVer "Infestantes Suscetíveis e Doses de Aplicação"

Videira

ProblemaInfestantes
Dose2,4 a 4,8 l/ha
ObservaçõesVer "Infestantes Suscetíveis e Doses de Aplicação"

Produtos relacionados

Utilizamos cookies para oferecer uma melhor experiência, analisar o tráfego do site e veicular anúncios direcionados.

Ao clicar em Aceitar, você concorda com o uso de cookies de acordo com nossa Política de cookies .