Todos os produtos

Zagaia®

Zagaia®
TipoHerbicidas
ComposiçãoFlazassulfurão 25%
Família QuímicaSulfonilureia
Tipo de FormulaçãoGrânulos dispersíveis em água (WG)
Tipo de FormulaçãoGrânulos dispersíveis em água (WG)
Número de registoAV 1042
Embalagem
100 g, 500 g
Ficha técnica60K59.82K
Ficha de Dados de Segurança641K640.71K
Ficha técnica60K59.82K
Ficha de Dados de Segurança641K640.71K

Informação Toxicológica

Atenção

Environmental Hazard GSH Pictogram
Para mais informações consulte a Ficha de Dados de Segurança.
Em caso de intoxicação contacte o Centro de Informação Antivenenos (CIAV), telefone nº 800 250 250.

Descrição do Produto

Resumo

O ZAGAIA está indicado para o controlo de infestantes gramíneas (anuais e perenes) e dicotiledóneas em Vinha, Citrinos, Olival e Zonas não cultivadas.

Características principais

  • Eficácia
  • Flexibilidade
  • Fiabilidade
  • Controlo em pré-emergência precoce
  • Efeito residual duradouro
  • Excelente solução para infestantes de difícil controlo (Conyza spp e Lolium spp.)
  • Elevada segurança para operadores e ambiente
  • Formulação WG de elevada qualidade

Observações

As doses mais elevadas terão ação mais prolongada no tempo.
Volume de calda: 200 a 400 L/ha
Evitar deixar a calda em repouso.
Para uma melhor gestão da estratégia de aparecimento de resistências:

  • alternar ou misturar o flazassulfurão com herbicidas de outras famílias.
  • monitorizar o campo regularmente.
  • seguir sempre as indicações do rótulo.
  • sempre que possível integrar diferentes estratégias.

Para mais informações consulte a Ficha de Dados de Segurança do produto.
Os produtos fitofarmacêuticos (PFF) homologados em Portugal podem ser utilizados em proteção integrada (PI), não
existindo uma lista de PFF’s recomendados especificamente para esse efeito. A escolha do PFF deve ter, obrigatoriamente,
em consideração a aplicação dos princípios gerais da PI e as normas definidas para a cultura.

Marca comercial

ASCENZA

Sobre a aplicação

Modo de Aplicação

Calibrar correctamente o equipamento, para o volume de calda gasto por ha, de acordo com o débito do pulverizador (L/min), da velocidade e largura de trabalho (distância entrelinhas) com especial cuidado na uniformidade da distribuição da calda. A quantidade de produto e o volume de calda devem ser adequados à área de aplicação, respeitando as concentrações/doses indicadas. Para diminuir o risco de arrastamento evitar pressões superiores a 2 kg/cm2 e/ou usar bicos anti-arrastamento.
Volume de calda a utilizar: 200-400 L/ha.

Modo de preparação

No recipiente onde se prepara a calda, deitar metade da água necessária. Juntar a quantidade de produto a utilizar e completar o volume de água, agitando sempre.
Evitar deixar a calda em repouso.

Precauções biológicas

As doses mais elevadas terão acção mais prolongada no tempo.
Para uma melhor gestão da estratégia de aparecimento de resistências:

  • Alternar ou misturar o flazassulfurão com herbicidas de outras famílias químicas.
  • Monitorizar o campo regularmente.
  • Seguir sempre as indicações do rótulo (respeitar sobretudo a dose de aplicação).
  • Integrar métodos químicos e agronómicos.
  • Sempre que possível integrar diferentes estratégias.

Intervalo de segurança

45 dias em Oliveira, em aplicações no Outono.

Infestantes susceptíveis

Pós-emergência:
Bredos (Amaranthus blitoides), bredos (Amaranthus retroflexus), erva-vaqueira (Calendula arvensis), margaça-de-inverno (Chamaemelum fuscatum), margaça (Chamaemelum mixtum), catassol (Chenopodium album), avoadinha (Conyza canadensis), grizanda (Diplotaxis erucoides), relógios (Erodium spp.), bico-de-pomba (Geranium dissectum), azevém (Lolium multiflorum), malvas (Malva spp.), carrapiço (Medicago polymorpha), sempre-noivas (Polygonum spp.), beldroega (Portulaca oleracea), saramago (Raphanus raphanistrum), tasneirinha (Senecio vulgaris), morugem (Stellaria media), urtigas (Urtica spp.), junça (Cyperus rotundus).

Pré-emergência:
Bredos (Amaranthus blitoides), bredos (Amaranthus retroflexus), catassol (Chenopodium album), grizandra (Diplotaxis erucoides), avoadinha (Conyza canadensis), milhã-pé-de-galo (Echinochloa crus-galli), bico-de-pomba (Geranium dissectum), azevém (Lolium multiflorum), malvas (Malva spp.), tasneirinha (Senecio vulgaris), cabelo-de-cão (Poa annua), raspa-saias (Setaria spp.).

Aplicações por cultura

Laranjeira

ProblemaInfestantes gramíneas, dicotiledóneas e ciperáceas
Dose60-200g/ha
ObservaçõesAplicar em pré-emergência ou pós-emergência precoce das infestantes (até um máximo de 4 folhas), de abril a agosto. Pulverização dirigida ao solo. Aplicação em bandas, ocupando 1/3 do terreno. Aplicar na linha de plantação. Não ultrapassar a dose máxima de 67 g/ha de área total por ano.

Limoeiro

ProblemaInfestantes gramíneas, dicotiledóneas e ciperáceas
Dose60-200g/ha
ObservaçõesAplicar em pré-emergência ou pós-emergência precoce das infestantes (até um máximo de 4 folhas), de abril a agosto. Pulverização dirigida ao solo. Aplicação em bandas, ocupando 1/3 do terreno. Aplicar na linha de plantação. Não ultrapassar a dose máxima de 67 g/ha de área total por ano.

Oliveira

ProblemaInfestantes gramíneas, dicotiledóneas e ciperáceas
Dose60-100g/ha
ObservaçõesAplicar em pré-emergência ou pós-emergência precoce das infestantes (até um máximo de 4 folhas), no Outono. Pulverização dirigida ao solo. Aplicação em bandas, ocupando 1/3 do terreno. Aplicar na linha de plantação. Não ultrapassar a dose máxima de 33 g/ha de área total por ano.
ProblemaInfestantes gramíneas, dicotiledóneas e ciperáceas
Dose60-200g/ha
ObservaçõesAplicar em pré-emergência ou pós-emergência precoce das infestantes (até um máximo de 4 folhas), na Primavera. Pulverização dirigida ao solo. Aplicação em bandas, ocupando 1/3 do terreno. Aplicar na linha de plantação. Não ultrapassar a dose máxima de 67 g/ha de área total por ano.

Videira

ProblemaInfestantes gramíneas, dicotiledóneas e ciperáceas
Dose60-200g/ha
ObservaçõesAplicar em pré-emergência ou pós-emergência precoce das infestantes (até um máximo de 4 folhas), do fim do inverno (fevereiro) ao início da primavera (abril). Pulverização dirigida ao solo. Aplicação em bandas, ocupando 1/3 do terreno. Aplicar na linha de plantação. Não ultrapassar a dose máxima de 67 g/ha de área total por ano.

Zona Não Cultivada

ProblemaInfestantes gramíneas, dicotiledóneas e ciperáceas
Dose60-200g/ha
Observações(estradas, auto-estradas, caminhos de ferro e zonas industriais) Aplicar em pré-emergência ou pós-emergência precoce das infestantes (até um máximo de 4 folhas). Pulverização dirigida ao solo. Aplicação em bandas, ocupando 1/3 do terreno. Aplicar na linha de plantação. Não ultrapassar a dose máxima de 67 g/ha de área total por ano.

Produtos relacionados

Utilizamos cookies para oferecer uma melhor experiência, analisar o tráfego do site e veicular anúncios direcionados.

Ao clicar em Aceitar, você concorda com o uso de cookies de acordo com nossa Política de cookies .